Pesquisar este blog

Novidades!!!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Meditações para o Natal.

DO NASCIMENTO DE JESUS. 



clique para ver mais imagens piedosas

O nascimento de Jesus Cristo foi motivo de alegria para todo o mundo. Ele era o Redentor esperado há tantos anos e o objeto de tantos suspiros que foi chamado o "Desejado das nações" e o "Desejo das colinas eternas". Eis que veio; nasceu numa pequena gruta. Imaginemos que o Anjo nos anuncia hoje esse grande motivo de júbilo que anunciou aos pastores de Belém: Eis que vos anuncio uma grande alegria que será partilhada por todo o povo, pois nasceu-vos hoje o Salvador. Que festa num reino por ocasião do nascimento do primeiro filho do rei! Devemos, porém regozijar-nos ainda mais vendo nascer o Filho de Deus, que, premido pelas entranhas de Sua misericórdia, do céu veio nos visitar. Estávamos perdidos, e eis que Ele veio ao mundo para nos salvar. Eis o Pastor que veio salvar suas ovelhas da morte, dando Sua vida por seu amor. Eu Sou o bom Pastor, diz Ele, o bom Pastor dá sua vida por suas ovelhas. Eis o Cordeiro de Deus que veio imolar-Se para nos obter a graça divina, e para ser o nosso libertador, a nossa vida, a nossa luz, e até nosso alimento no Santíssimo Sacramento


Segundo S. Máximo, um dos motivos pelos quais Jesus quis, nascendo, ser colocado num presépio, onde os animais tomam seu alimento, foi dar-nos a entender que se fez homem não só para salvar-nos, mas também para ser o nosso alimento. Ainda mais, nasce todos os dias na Missa entre as mãos do sacerdote pela consagração: o altar é o presépio onde nos saciamos de sua carne divina.  

Há pessoas que desejariam receber em seus braços o santo Infante, como o santo velho Simeão; ora, a Fé nos ensina que quando comungamos temos não só nos braços, mas no coração, esse mesmo Jesus que estava no presépio de Belém. Nasceu precisamente para dar-se inteiramente a nós: Nasceu-nos um Menino, foi-nos dado um Filho.


Afetos e Súplicas.

Andei errante, como ovelha, que se desgarrou; busca o teu servo. Senhor, sou essa pobre ovelha que, para seguir seus gostos e caprichos, se perdeu miseravelmente; mas vós, Pastor e Cordeiro divino, viestes do céu para salvar-me, imolando-Vos sobre a Cruz, como vítima de expiação por meus pecados: Eis o Cordeiro de Deus, eis o que tira o pecado. Se quero, pois corrigir-me, que tenho a temer? Não devo confiar inteiramente em Vós que nascestes justamente para salvar-me? Eis que Deus é meu Salvador; agirei com confiança e nada temerei. E que maior prova de misericórdia poderíeis dar-me, meu doce Redentor, para obrigar-me a confiar em Vós, do que o terdes-Vos dado a mim? Ó caro Menino, quanto sinto ter-vos ofendido! Eu vos fiz chorar no estábulo de Belém, mas, sabendo que viestes para me buscar, lanço-me aos vossos pés; e embora Vos veja tão aflito e humilhado nesse presépio em que repousais sobre palha, reconheço-Vos por meu Rei e meu soberano Senhor. 

Ouço os Vossos ternos vagidos, que me convidam a amar-Vos, e me pedem o coração; ei-lo, Jesus, estou agora aos vossos pés para Vo-lo oferecer; transformai-o e inflamai-o, já que viestes ao mundo para abrasar os corações com Vosso santo amor. Ouço-Vos dizer-me do presépio: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração; e eu respondo: Ah! Meu Jesus, se não amo a Vós que sois meu Senhor e meu Deus, a quem amarei então? Vós vos declarais minha propriedade, pois que nasceis para Vos dar todo a mim; e eu recusaria ser Vosso? Não, meu amado Senhor, dou-me todo a Vós, e amo-Vos de todo o meu coração. Sim, amo-Vos, amo-Vos, amo-Vos, ó Bem supremo, único amor de minha alma! Por favor, recebei-me hoje, e não permitais que eu cesse jamais de Vos amar. 

Ó Maria, minha Soberana, eu Vos conjuro, pela alegria de que fostes inundada a primeira vez que os Vossos olhos viram Vosso divino Filho em seu Nascimento, e os Vossos braços O apertaram contra o Vosso seio materno, pedi-lhe que aceite a oferta que Lhe faço de mim mesmo, e me prenda a Ele para sempre, pelo dom de Seu Santo Amor.

(Encarnação, Nascimento e Infância de Jesus Cristo, por S. AFONSO MARIA DE LIGÓRIO Doutor da Igreja e Fundador da Congregação Redentorista Tradução do Pe. OSCAR DAS CHAGAS AZEREDO, C.Ss.R. Edição Pdf Aparecida – 2004 – Fl. Castro)   



Sobre o Natal, veja ainda: http://farfalline.blogspot.com/2016/12/o-assunto-e-o-natal-de-nosso-senhor.html
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA