Pesquisar este blog

Novidades!!!

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Rebelde, divisionista... Quem?

Parece até uma resposta a certos infâmes "comunicados" lançados recentemente no Brasil. Mas não é, Monsenhor Williamson está em outro nível, tratando de assunto relevantes, não perde tempo com "perfumaria"...

COMENTÁRIO ELEISON N. 270

15 de setembro de 2012

"REBELDE, DIVISIONISTA"



S.E.R. Mons. R. Williamson
Bispo da Igreja Católica e da FSSPX
O sétimo capítulo do Evangelho de São João contém uma lição particular para hoje: quem são os verdadeiros rebeldes contra a autoridade e quem são os que apenas aparentam ser rebeldes? Quem parece estar dividindo o povo de Deus e quem realmente o está dividindo? As coisas nem sempre são como parecem ser. É sempre necessário "julgar não segundo a aparência, mas julgar com justo juízo" (S. João VII,24).

O Capítulo VII de S. João está próximo do fim da vida de Nosso Senhor na terra. Os Judeus estão tentando matar Jesus (vers. 1), mas o Senhor, ainda assim, vai a Jerusalém e ensina no Templo (14). A multidão já está dividida (12), e, por isso, o efeito de seus ensinamentos é que algumas pessoas (40) reconhecem nEle o Profeta (cf. Deut. XVIII, 15– 19), enquanto outros (41– 42) recusam– Lhe este reconhecimento porque ele é da Galileia. Consequentemente, há divisão e discórdia. Ora! A divisão como tal é condenável, mas de quem é a culpa? Certamente, não de Nosso Senhor, que é apenas o pregador da doutrina de Seu Pai Celestial (16– 17). Também não se pode culpar aquela parte da multidão que aceitou seu divino ensinamento. Claramente, a culpa pela discórdia cabe às autoridades do Templo e àquela parte da multidão que rejeitou a Verdade.

Do mesmo modo, nas décadas de 70 e 80, o Arcebispo Lefebvre dividiu os Católicos ao ensinar e praticar a verdade da Tradição Católica, mas qual Católico que hoje se orgulha de ser Tradicional o culpa por essa divisão? Claramente, a culpa pela divisão na Igreja não recai nem sobre o Arcebispo, nem sobre aqueles que o seguiram, mas, principalmente, nas autoridades da Igreja que distorciam a Verdadeira religião, assim como o fizeram as autoridades do Templo, nos dias de Nosso Senhor. Repetidas vezes, o Arcebispo lhes suplicou para "julgar com justo juízo" a fim de confrontar o problema central gerado por seu adultério Conciliar com o mundo moderno. Até hoje, as autoridades da Igreja recusam tal confronto. Repetidas vezes, a única resposta deles foi "Obediência!", "Unidade!". Não é evidente que a sua falta de argumentos sobre as questões básicas da verdade sugere que eles é que são os verdadeiros rebeldes e divisores na Igreja?

Não obstante, a discórdia como tal não é uma coisa boa, e tanto nosso Senhor, quanto o Arcebispo Lefebvre sabiam, de antemão, que a discórdia seguiria a seu ensinamento. Por que, então, continuaram seguindo adiante? Por que as almas podem se salvar com a discórdia (cf. Lc. XII, 51– 53), mas não podem se salvar sem a Verdade. Se as autoridades religiosas estão enganando o povo – e o Diabo trabalha particularmente duro sobre elas, por causa de seu poder de levar muitas outras almas para o mau caminho – então, a Verdade deve ser dita para trazer as pessoas de volta ao caminho para o Céu, mesmo que a discórdia seja o resultado disso. Neste aspecto, a Verdade está acima da autoridade ou da unidade.

E onde está esta verdade no ano de 2012? O Vaticano II foi um desastre para a Igreja –verdadeiro ou falso? As autoridades da Igreja que produziram Assis III e a "beatificação" de João Paulo II continuam apegadas ao Vaticano II – verdadeiro ou falso? E, então, se a própria Fraternidade São Pio X se coloca sob tais autoridades, estas usarão todo seu prestígio e poder sobre a FSSPX, que ela mesma lhes dará, para dissolver a sua resistência ao Vaticano II – verdadeiro ou falso? Assim, a FSSPX corre o grave risco de perder progressivamente a força que ainda possui para resistir a esse prestígio e poder – verdadeiro ou falso? Como dizem os romanos: "Roma pode esperar"!

E, então, na FSSPX, hoje, se alguém "julgar não segundo a aparência, mas com justo juízo", quem é que está sendo realmente “divisionista”? Quem são os verdadeiros "rebeldes contra a autoridade"? Aqueles que criticam esse risco da mistura da Verdade Católica com o erro Conciliar, ou aqueles que a promovem?

Kyrie eleison.

Tradução: Carla d'Amore di Ugento

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA