Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

O ACORDO que NÃO existe.

Enquanto não escrevo os meus comentários sobre o Importante Comunicado do Prior de São Paulo, comento a notícia publicada no Fratres In Unum, acerca do Preâmbulo doutrinal. 

Em primeiro lugar, mesmo Mons. Fellay negando um acordo e mesmo os acordistas irradiando a versão oficial, a FSSPX continua interessada em dialogar com Roma, em se "normalizar" - mudaram o termo de novo, agora não é mais regularização, é normalização... Haja paciência! Pensam que todos são tontos como eles? Que não têm memória nem raciocinam? 

A última versão do Preâmbulo doutrinal vem do Papa pessoalmente.

Por Kreuz.net | Tradução: T. M. Freixinho, Fratres in Unum.com -  

Em uma vídeo-entrevista para o sítio ‘pius.info’, o Padre Franz Schmidberger – superior do Distrito Alemão da Fraternidade São Pio X – resume as condições apresentadas pela Fraternidade para a “regularização” junto ao Vaticano.

Não haverá uma segunda Fraternidade

A Fraternidade deseja continuar expondo os erros do Concílio Vaticano II “no pelourinho”. Ela quer utilizar exclusivamente os livros litúrgicos antigos e exige uma promessa do Vaticano, no sentido de que futuramente os bispos da Fraternidade sejam nomeados dentre suas próprias fileiras.


Pale Ideas:

Eles insistem em ignorar, publicamente, a dolorosa fratura interna da FSSPX. Para eles, o assunto já foi resolvido, pois expulsaram os rebeldes.
Mas... e os outros padres que são contrários ao acordo? Aqueles que não têm hombridade ou caráter para se posicionar publicamente contra, limitando-se a sussurrá-lo a este ou àquele fiel, com juras de amor eterno ao Superior, até porque alguns creem, piamente, que o ACORDO NÃO EXISTE, NEM AGORA NEM NUNCA, e que Roma “está no papo” e fará tudo o que a FSSPX quer, diferentemente do que fez com os Institutos Ecclesia Dei. Porque somos “mais bonitos”...
Eles até podem continuar gotejando o veneno da capitulação aos fieis, para que estejam bem preparados no dia da “comunicação”... Mas, quando chegar a hora, estão completamente certos de que os "tontos" não vão desconfiar? Sim, porque uma hora a “conversa” vai ter que se tornar pública. Por enquanto, Roma fala uma coisa e a FSSPX outra, publicamente. Mas vai chegar o dia “D”, e não poderá haver duas conversas diferentes! Nesse dia, o que acontecerá se os que são contrários ao acordo – e foram “entretidos” por hábeis pregadores – abrirem os olhos novamente? Sim, porque eles continuam a guardar aquele pedacinho de desconfiança, aquele pequeno e limpo pedaço do coração que ainda sabe que não se deve exigir nada menos do que a conversão.
Outubro está aí... E aquele padre que dizia que estava mentindo a Resistência, por apontar esta ou aquela data (como um adventista) que não se concretizou? Oras, do que fala então o pretenso futuro Bispo conciliar alemão? Se não haverá acordo (reconhecimento, regularização, normalização etc.)... do que fala, então?
 

Consulta ao Papa

Padre Schmidberger esclarece que a última versão do preâmbulo doutrinal – que o Vaticano entregou à Fraternidade em 13 de junho – incorporava um texto proposto por Dom Bernard Fellay.
Porém, complementos essenciais teriam sido acrescentados, “que representam um problema para nós”.
Assim, a Fraternidade informou-se junto ao Papa se a versão procedia dele ou de seus colaboradores.
Em sua resposta, o Papa assegurou que as novas sugestões seriam dele mesmo.

“Assim realmente não dá”

As novas exigências incluem – segundo o padre Schmidberger – o reconhecimento da legitimidade da Missa Nova e o reconhecimento do Concílio Vaticano Segundo.
A Fraternidade poderia discutir apenas em nuances uma ou outra formulação.
Todavia, ela precisaria basicamente estar preparada para enxergar o Concílio Pastoral em uma série ininterrupta com os concílios dogmáticos.
Comentário do padre Schmidberger: “Assim, realmente, não dá. Ocorreram rupturas que não podem ser negadas”.
Pale Ideas:

Novas exigências? Roma vem exigindo isso desde 1988!!! Faça-me o favor! A quem e até quando vão querer enganar???
Diga-se a verdade: Roma NUNCA mudou o discurso! NUNCA! Condescendeu quando levantou as excomunhões (ato inútil) e lançou o Motu Proprio Protestante (ato gravíssimo), mas, a rigor, seu discurso sempre foi o mesmo: para ser reintegrada, a FSSPX deve aceitar o CVII.


Condição Anormal

Ele enfatiza que o Vaticano precisaria renunciar a essas exigências se quiser normalizar as relações com a Fraternidade.
A condição atual da Fraternidade seria “anormal”.
Entretanto, essa condição — que clama por uma normalização – não seria culpa da Fraternidade.
As conversações com Roma teriam mostrado que a Fraternidade busca a normalização e que esta depende do Papa.

[Ndr: no mesmo vídeo, Padre Schmidberger afirma acreditar que o Papa não aplicará novas penalidades sobre a FSSPX caso não se chegue um entendimento].

Pale Ideas:

"As conversações com Roma teriam mostrado que a Fraternidade busca a normalização e que esta depende do Papa."
Verdade! A normalização depende só do Papa [católico] mesmo. Que dúvida!!!
Mas vamos fazer um exercício de raciocínio simples, quase desenhado:
Parecia-me, lendo e relendo Mons. Lefebvre, que a FSSPX não quisesse normalização alguma, mas a "conversão" de Roma, com a volta à Tradição da inteira Nau de Pedro e com a rejeição completa do CVII (tanto nos 95% aceitáveis quanto nos 5% discutíveis)... posto que, uma vez voltando Roma à Tradição, a FSSPX não precisaria de regularização, nem normalização, nem acordo, nem nada! Porque, sendo Roma novamente Católica, a FSSPX já estaria "dentro" da Igreja.
Pelo menos era isso que nos ensinavam os valorosos e destemidos padres da FSSPX, há alguns meses atrás!
Mas se Roma ainda não se converteu, a FSSPX pretende ser "normalizada" a quem? A qual Igreja?
Sim, porque, se Roma NÃO se converteu, estamos ainda no "status quo" de 1988 (um pouco pior na verdade), quando Mons. Lefebvre a chamava de Apóstata, porque modernista. E se Roma ainda é Apóstata... então a FSSPX quer se normalizar à Apostasia? 

Política Pessoal Zigue-zague

Padre Schmidberger descreve o polêmico Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, Arcebispo Gerhard Ludwig Müller, como “não muito simpático” à Fraternidade.
Ele teria assumido uma “atitude quase hostil” em relação à Fraternidade.
O Superior Distrital considera o novo Vice-Presidente da Comissão ‘Ecclesia Dei’, Arcebispo Augustine DiNoia, uma “compensação” pelo Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé.
Pale Ideas:

E como um QUASE ERRO pode "compensar" um ERRO?
Por que Dom Müller não precisa assinar um preâmbulo doutrinal?

Padre Schmidberger critica o “ensinamento heterodoxo” do Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé.
Este substitui o ensinamento da transubstanciação por uma teoria de transfinalização, segundo a qual o pão e o vinho na missa receberiam apenas uma nova qualidade.
Ele não teria também uma “noção muito clara” sobre a Virgindade de Maria.
Pale Ideas:

Será que o reverendo Pe. Schmidberger não lê o que Mons. Fellay escreve? "Isso" (Dom Müller e suas teorias heréticas) só pode estar, segundo Mons. Fellay, nos 95% aceitáveis ou nos 5% discutíveis. Ele não tem medo de desdizer seu chefe publicamente? Outros que o fizeram, foram condenados ao ostracismo!!! Cuidado, Pe. Schmidberger, vai perder o episcopado...
Além do mais, QUEM colocou Dom Müller onde está? Foi o caro sempre professor e amigo de Pe. Schmidberger, o Papa Bento XVI... O mesmo que perseguiu Mons. Lefebvre - pai espiritual de Pe. Schmidberger, de Mons. Fellay e de todos os padres acordistas volenti ou nolenti... - quando estava na mesma cadeira que agora o Cardeal Müller ocupa, a pedido de Bento XVI!!!  
 
O Papa promove essas pessoas

O novo secretário para o Culto Divino e uma capela por ele idealizada em sua diocese de origem.

O novo secretário para o Culto Divino e uma capela por ele idealizada em sua diocese de origem.
Finalmente, o padre Schmidberger critica a nomeação do Arcebispo Arthur Roche para o cargo de Secretário da Congregação para o Culto Divino.
Dom Roche seria um crítico contundente do Motu Proprio ‘Summorum Pontificum’. Ele teria feito tudo em sua diocese de Leeds, na Inglaterra, para impedir a Missa Antiga.
Pale Ideas:

Eu, sinceramente, não compreendo o que pretende a cúpula da Neo-FSSPX! (porque de Neo-FSSPX se trata!)
Se aceita normalizar-se com a Roma atual, do jeito que ela é, do jeito que ela está... do que reclama? É o mesmo que pedir para entrar em um chiqueiro e... reclamar da sujeira!!! Limpe-se o local antes, REVERENDOS E EXCELÊNCIAS!!!!
Vê-se aqui o ERRO em que nadam esses ilustres intelectos!!! O que eles querem não faz sentido algum.
Talvez eles seriamente acreditem que, logo após serem "normalizados", no ato da assinatura do acordo (porque acordo é!), em um passe de mágica, Roma se converterá, e todos os pseudo-Católicos-modernistas, de uma só vez, vão se tornar Católicos!!! Ingenuidade ou loucura?

Talvez o Papa deva desenhar para eles, porque, realmente, os líderes da FSSPX não estão compreendendo "como a banda toca". Atrevem-se a encostar o Papa na parede para... uma simples "normalização", mas não para exigir o que devem, o que lhes cabe!!!

ESTO VIR, excelências!!!! ESTO VIR!!!


_

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA